segunda-feira, 8 de julho de 2024

«LEVO UM LIVRO NA SACOLA PARA LER FORA DA ESCOLA»: UMA ESTRATÉGIA PARA PROMOVER A LEITURA JUNTO DOS MAIS PEQUENINOS

    A atividade «Levo um Livro na Sacola para Ler fora da Escola» continua a promover a leitura junto dos mais pequninos, envolvendo a família na construção de hábitos e rotinas de leitura e no incentivo ao prazer de ler.

    De quinze em quinze dias, as crianças, orientadas pela educadora, escolhem um livro na pequena biblioteca do jardim de infância e levam-no para casa, numa colorida sacola azul, para ser lido em família. Dentro do livro, há uma ficha, que será elaborada colaborativamente, apelando à arte, à criatividade e ao engenho familiar. 


    

       No entanto, a opinião que conta neste processo é a opinião da criança, que fica claramente registada na avaliação e no comentário.

     Posteriormente, o trabalho produzido pelas crianças é apresentado e discutido na sala de atividades do grupo, sob a orientação da educadora.

   

    No corrente ano letivo, esta atividade foi implementada nas seis salas da educação pré-escolar do Agrupamento de Escolas de Monchique, envolvendo 114 crianças, 7 educadoras e 205 encarregados de educação/familiares.

    Foram requisitados 933 livros para a atividade.


terça-feira, 25 de junho de 2024

LER+ COM HISTÓRIA E EXPRESSÃO 2024: DA PALAVRA À IMAGEM

Os alunos do 9.º ano voltam a dar-nos a oportunidade de reler a obra O Caderno do Avô Heinrich, de Conceição Dinis Tomé, nas ilustrações que produziram para a disciplina de Educação Visual, no âmbito da atividade «Ler+ com História e Expressão».

Algumas imagens são inequívocas, claramente reveladoras da passagem a que se reportam; outras, porém, motivam-nos a reler o texto e partir em busca da mensagem que o seu autor nos quis transmitir. O que é indiscutível é a qualidade dos trabalhos produzidos e que se encontram expostos na galeria que se segue.

quarta-feira, 19 de junho de 2024

LEITURAS AO MAIS ALTO NÍVEL NA FINAL DA 14.ª EDIÇÃO DO CONCURSO «PARES DA LEITURA»

A sala Manuel Martins do edifício sede da Freguesia de Monchique acolheu, no passado dia 12 de junho, a final do concurso «Pares da Leitura» e, catorze anos depois da primeira edição, os concorrentes continuam a surpreender-nos pela qualidade das suas leituras e pelo inquestionável domínio das obras lidas.


A concurso estavam duas obras extensas e com um considerável nível de dificuldade: Avozinha Gângster Volta a Atacar de David Walliams, para os alunos, e As Pequenas Memórias de José Saramago, para os adultos.

As questões, quinze no total para cada elemento do par, subdividiam-se em três grupos de diferentes tipos (Verdadeiro / Falso; Escolha Múltipla; Frase Lacunar) e pressupunham uma leitura cuidada das obras. Esperava-se que algumas dessas questões, mais complexas, originassem desempenhos distintos, determinando o posicionamento dos pares do 1.º ao 9.º lugar (um dos pares desistiu tardiamente, não sendo possível proceder à sua substituição).







Surpreendentemente, os concorrentes (alunos e adultos) acertaram quase todas as respostas e, no final, somadas e confirmadas as pontuações pelo júri e contadas as «moedas de ouro», constatou-se que havia três pares em 1.º lugar, com um total de 29 pontos (e «moedas de ouro»), seguidos de dois pares com 27 pontos.

Convém esclarecer que, por cada resposta certa, os concorrentes recebem «uma moeda de ouro» (daquelas que, quando mordiscadas, sabem a chocolate), com as quais vão compondo um valioso «tesouro da leitura».

Estavam, pois, encontrados os cinco primeiros classificados, mas era necessário desfazer os empates, já que os prémios são diferentes do 1.º ao 5.º lugar. Recorreu-se, então, a uma série de três questões, uma de cada tipo, a que apenas os alunos responderam. Esta primeira ronda determinou o 4.º e o 5.º lugar, mas os empates mantinham-se no 1.º lugar.

Uma segunda série de três questões permitiu encontrar o 3.º classificado, no entanto, havia, ainda, dois pares empatados.

Recorreu-se, neste caso, à estratégia «morte súbita». Os dois alunos dos pares empatados lançaram um dado e o que obteve a pontuação mais elevada optou por responder à questão «frase lacunar» (podia optar por passar essa responsabilidade ao colega). Como acertou, conquistou o 1.º lugar, ficando o seu colega em 2.º lugar, apesar de ter respondido corretamente a todas as questões (21 no total).

 

CLASSIFICAÇÃO FINAL

1.º lugar – Jamila Bragança (6.º A) e Zaira Bissig (mãe)

2.º lugar – Diogo Catarino (6.º B) e Anabela Martins (tia)
3.º lugar – Lara Susana (5.º B) e Vanda Duarte (mãe)
4.º lugar – Tiago Nunes (5.º A) e Lúcia Costa (professora)
5.º lugar – Uma Holdt (6.º A) e Ana Rita Oliveira (mentora do Projeto Teach for Portugal)
6.º lugar – Restantes pares: Maria Reis (5.º B) e Raquel Duarte (mãe); Anita Pereira (6.º A) e Carla Monteiro (professora); Carolina Oliveira (5.º A) e Vera Catarino (mãe); Margarida Mestre (6.º A) e Mara Veiga (mãe).





Apesar de ser um concurso, uma competição, a edição do corrente ano ficou marcada pela boa disposição, pelo entusiasmo e por momentos muito divertidos e animados. No final, debatia-se a possibilidade de alargar o concurso ao 3.º ciclo. Fica o desafio!

O que é certo é que o principal objetivo do «Pares da Leitura» foi atingido e a LEITURA foi a grande vencedora da noite. 

A equipa da biblioteca escolar e o departamento de Línguas agradecem todo o apoio da Junta de Freguesia de Monchique, entidade parceira na organização desta atividade e que financiou todos os prémios atribuídos aos participantes.

terça-feira, 18 de junho de 2024

ALUNOS DO 4.º ANO VISITARAM A NOVA BIBLIOTECA ESCOLAR

No passado dia onze, os alunos do 4.º ano das três escolas do 1.º ciclo do concelho de Monchique estiveram de visita à Escola Básica Manuel do Nascimento, para se familiarizarem com os espaços e os ambientes que irão frequentar no próximo ano letivo.

A “nova” biblioteca escolar foi um dos espaços visitados pelos meninos, onde foram convidados para participar numa divertida atividade de leitura.

Tudo começou com a leitura da fábula «A Cegonha e a Tartaruga», da obra Três Fábulas, de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, tarefa assumida, com responsabilidade e elevada competência, por quatro colegas do 6.º ano.

Seguiu-se um conjunto de questões de escolha múltipla a que os alunos foram respondendo com recurso a três cartões coloridos com as letras A, B e C. 


A maioria dos alunos respondeu acertadamente a quase todas as questões, mas o mais importante foi o convívio, o entusiasmo e a alegria que vimos nos rostos dos meninos. Por conta disso, nesse dia, a nossa biblioteca foi um lugar mais colorido e muito mais feliz.

sexta-feira, 14 de junho de 2024

LEITURAS E TEATRO 2024: «O PRÍNCIPE NABO» NUMA ESCOLA PERTO DE NÓS!

No passado dia 6 de junho, os alunos das duas turmas do 5.º ano deslocaram-se a Portimão, à Escola Básica Engenheiro Nuno Mergulhão, para um encontro muito especial com o mundo do teatro.

Segundo contaram, havia uma princesa, a Princesa Beatriz, vaidosa, insolente e arrogante, a quem o pai, o Rei do Reino da Abundância, resolveu dar uma lição, já que ela rejeitava e humilhava todos os pretendentes. Decidiu, assim, dá-la em casamento ao primeiro homem que aparecesse. A princesa conhece então uma realidade completamente diferente, dura e difícil, mas acaba por descobrir o amor. 


Os alunos já conheciam bem o enredo, pois tinham feito, nas aulas de Português, uma leitura integral da peça O Príncipe Nabo, de Ilse Losa, mas a representação pela companhia profissional Teatro EDUCA permitiu-lhes aprofundar o conhecimento da obra e compreender melhor as características do texto dramático.

Acresce que alguns dos nossos alunos puderam coadjuvar na representação e assumir, por alguns minutos, o papel de atores.

Haverá melhor forma de concluir o estudo de um texto dramático?




A biblioteca escolar e o departamento de Línguas agradecem a colaboração da biblioteca municipal na organização da atividade e o apoio do Município de Monchique, entidade que suportou todos os encargos financeiros e que também disponibilizou o transporte.

Agradecemos, igualmente, à direção do Agrupamento de Escolas Engenheiro Nuno Mergulhão pela cedência do seu auditório para esta representação teatral.


segunda-feira, 10 de junho de 2024

500 ANOS DE CAMÕES

Assinala-se hoje, 10 de junho, o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, num ano particularmente significativo, já que se celebram os 500 anos do nascimento do poeta.

Aproveitamos a data para recordar algumas publicações deste blogue em que homenageámos Camões, um dos maiores poetas de todos os tempos.

Para aceder a essas publicações, clique sobre as imagens que se seguem.


quarta-feira, 5 de junho de 2024

CONVITE - FINAL DO CONCURSO «PARES DA LEITURA»

 A Biblioteca Escolar convida a comunidade educativa para a grande Final do Concurso «Pares da Leitura», que terá lugar no dia 12 de junho, a partir das 20h30, na Junta de Freguesia de Monchique.

terça-feira, 4 de junho de 2024

LEITURAS E TEATRO 2024: «UM PUNHADO DE SAL, UMA VIAGEM REAL»

O encontro com a rainha D. Maria Pia de Saboia, esposa do rei D. Luís I, estava marcado havia muito tempo e, naquele dia 28 de maio, esperava-nos, pontualíssima e deslumbrante no seu magnífico vestido do século XIX. Com um curioso sotaque italiano, foi-nos revelando a história do Palácio e da sua família, enquanto nos conduzia pelas majestosas e sumptuosas salas.
Os olhares perdiam-se na complexidade da decoração e os espaços sucediam-se, dividindo opiniões e pareceres.
O baile final, junto à Sala do Trono, foi irrepreensível e todos nós tivemos a oportunidade de «dar um pezinho de dança», devidamente orientados pela bela Rainha.
 

E os ambientes reais não ficaram por aqui, já que, a seguir ao almoço, partimos para o teatro, lá para os lados de Alvalade, para assistir à representação da peça Leandro, Rei da Herília, pela companhia Instantes D'Aplausos.

Familiarizados com o texto (que haviam estudado nas aulas de Português), os alunos puderam acompanhar, com atenção e sentido crítico, toda a representação e não deixaram de reconhecer o excelente trabalho dos atores, do encenador, do figurinista, do cenógrafo, do sonoplasta e dos demais intervenientes na montagem deste espetáculo.

FOLHETO DA VISITA



sexta-feira, 31 de maio de 2024

LATITUDES DA LÍNGUA PORTUGUESA: MONCHIQUE / MILFORD (EUA)

Assinalou-se, no passado dia 5 de maio, o DIA MUNDIAL DA LÍNGUA PORTUGUESA, uma data instituída em novembro de 2019 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) e que foi comemorada pela primeira vez em 2020.

Desde então, o Agrupamento de Escolas de Monchique tem-se associado à comemoração desta data, que celebra a língua portuguesa e a sua dimensão crescentemente global, sendo falada por mais de 260 milhões de pessoas nos cinco continentes, língua oficial dos nove países da CPLP (Portugal, Brasil, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Angola, Moçambique e Timor-Leste) e a quarta língua materna mais falada no mundo.
Nos dois últimos anos letivos e no âmbito da iniciativa «Latitudes de Língua Portuguesa», proposta pela Rede de Bibliotecas Escolares com o propósito de afirmar a língua portuguesa como plataforma global de entendimento e partilha entre estudantes de diferentes partes do mundo onde se fala ou ensina o português, alunos da Escola Básica Manuel do Nascimento estabeleceram contactos com colegas da Escola Portuguesa de Macau, da Escola das Lajes das Flores, nos Açores, e da Escola Portuguesa de Cabo Verde. No corrente ano letivo, a troca de correspondência fez-se entre jovens das turmas A e C do 7.º ano, sob a orientação da professora Carla Monteiro, e alunos da turma de Português 3 da Milford High School, nos Estados Unidos da América, sob a orientação da professora Vânia Magalhães.
Comunicando em língua portuguesa, os alunos falam das suas origens, das escolas, das rotinas diárias e das suas preferências e dão a conhecer realidades e culturas diferentes.
A título de exemplo, transcrevemos a resposta de um dos nossos alunos da turma A do 7.º ano à sua correspondente americana.

Monchique, 9 de abril de 2024

 Olá, Maya.

 A tua vida como estudante e adolescente parece super boa.
O meu nome é Martim e tenho 13 anos. As minhas aulas começam às 8h30. Há dois dias em que só tenho aulas até à hora do almoço e nos outros dias saio entre as 16h e as 17h. A minha vida como estudante é como a tua, muito boa.
 A minha escola não é muito grande, mas também não é pequena; há quatro blocos, mas, neste momento, só temos aulas em dois, porque os outros estão a ser remodelados. Também temos um pavilhão desportivo e um campo de jogos grande.
Eu, como ainda sou novo, não posso trabalhar como tu e não sou assim tão ocupado. Para passar o tempo livre, ando na natação e já ganhei algumas medalhas, mas agora não consigo treinar, porque a piscina onde treino está a ser arranjada. Por isso, agora, faço alguns desportos com os meus colegas e com o professor de natação. Também frequento os Escuteiros de Monchique, onde aprendemos algumas coisas, como: fazer nós, amarrações, montar uma tenda sozinhos e a ter espírito de entreajuda e mais algumas coisas.
Obrigado, Maya, por me teres contado um pouco sobre ti e sobre a tua escola.
Um bom resto de ano e fica bem.

                                                                                   Martim


sexta-feira, 24 de maio de 2024

+ CIÊNCIA ON - QUESTÃO 34

 NOTAS PRÉVIAS

Sabias que as penas das aves desempenham funções variadíssimas?

O revestimento das aves é pele com penas que se formam a partir da sua epiderme.

A cor e o tamanho das penas é muito variável nas aves.

As penas das aves desempenham uma série de funções vitais que contribuem para a sua sobrevivência e sucesso no ambiente em que vivem: ajudam no voo, no isolamento térmico (mantêm uma temperatura corporal estável), no isolamento do ar e da água, na camuflagem e na atração sexual.

QUESTÃO



PRESTA ATENÇÃO 

Faz uma pesquisa sobre o assunto, de acordo com as indicações que o teu professor te transmitiu.

Responde à questão no formulário que te disponibilizamos. Para isso, clica aqui.


quarta-feira, 22 de maio de 2024

PROBLEMATIK 35 - OS FILHOS DO CASAL MARTINS

MAIO é o mês da família, tema em que se baseou o  PROBLEMATIK deste mês e que convidamos os nossos alunos a realizar com a colaboração da família.

Exige alguma capacidade de concentração e um bom raciocínio, mas, bem vistas as coisas, até é relativamente FÁCIL!

Vamos a isso?
_____________________________________________________________________

O casal Martins tem vários filhos. Cada filha tem o mesmo número de irmãos e irmãs, e cada filho tem duas vezes mais irmãs do que irmãos. 

Quantos filhos e filhas existem na família?

________________________________________________________________


Achas que chegaste à resposta correta? Queres confirmar? 

Preenche, então, o formulário que te disponibilizamos aqui.

 

segunda-feira, 20 de maio de 2024

SELO CURIOSO 33 - HISTÓRIA (D. DINIS)

  

O selo que hoje se publica é mais um exemplar da coleção à guarda da Biblioteca Escolar, desta feita um selo de D. Dinis, que, segundo Kullberg, faz parte da emissão «Reis de Portugal da 1.ª dinastia», tendo circulado de 17 de março de 1955 a 1 de novembro de 1958. O desenho é de António Lino, com gravura de Robert Godbehar Bradburey Wilkinson & C.ª de Londres. 

Este exemplar leva-nos a recordar um pouco da História de Portugal. 

O rei D. Dinis, filho do rei D. Afonso III e de D. Beatriz de Castela, subiu ao trono de Portugal em 1279 e reinou durante 46 anos. Casou com D. Isabel de Aragão, a Rainha Santa, e juntos tiveram dois filhos: D. Constança e D. Afonso, o herdeiro da coroa. Além disso, foi pai de mais seis filhos bastardos.
Quando D. Dinis herdou o trono, a reconquista do território já estava concluída. Vivia-se um período de maior estabilidade, mas só em 1297, com a assinatura do Tratado de Alcanizes, é que ficaram definidas as fronteiras de Portugal.
Foi uma época de centralização do poder real, em que a coroa estava em divergência com o clero por ter usurpado propriedades do rei. D. Dinis recorreu, várias vezes, a Inquirições para recuperar essas terras ou retirar privilégios que limitassem a autoridade do rei. 
D. Dinis foi um administrador hábil. Promoveu o desenvolvimento da economia, dando impulso à agricultura, através de medidas que contribuíram para o seu desenvolvimento e para o melhor aproveitamento das terras. Mandou enxugar terrenos alagadiços e plantar arvoredo, nomeadamente pinheiros mansos, criando o famoso Pinhal de Leiria. Por ter tomado medidas de incentivo e apoio à agricultura, foi-lhe atribuído o cognome «O Lavrador»
Também incrementou o comércio interno, desenvolvendo as feiras e criando feiras francas (isentas do pagamento de impostos).  No comércio externo, promoveu as exportações de produtos agrícolas, sal e peixe salgado, em troca de minerais e tecidos. Fez tratados de comércio com Inglaterra. Protegeu também a atividade pesqueira, instituiu a marinha e promoveu a atividade mineira, com a exploração das minas de prata, ferro, estanho e enxofre. Percorreu cidades e vilas, reparou e fundou burgos e castelos.
Foi, ainda, um grande impulsionador da cultura, ordenou que os documentos oficiais passassem a ser escritos em língua portuguesa, em substituição do latim. No seu reinado, o pergaminho foi substituído pelo papel. 
Em 1286, iniciou-se o ensino da Teologia em Portugal. Em 1290, fundou a primeira Universidade em Lisboa, os Estudos Gerais, onde se lecionava as disciplinas de Direito Civil, Canónico e Medicina. Também mandou traduzir obras de História e de Direito.
D. Dinis amava a música, as artes e foi poeta, escreveu Cantigas de Amigo e Cantigas de Amor.  A sua corte foi, naquele tempo, um dos centros culturais mais destacados da Europa.


Referências:

Infopédia. D. Dinis. Retirado de https://www.infopedia.pt/artigos/$d.-dinis.
Kullberg, C. (2006). Selos de Portugal, Album III, (1954/1970). Retirado de https://www.fep.up.pt/docentes/cpimenta/lazer/html/ebook/bfd006_p.pdf

O Portal da História. (2015). Reis, Rainhas e Presidentes de Portugal - D. Dinis. Retirado de https://www.arqnet.pt/portal/portugal/temashistoria/dinis.html

RTP Ensina. (2003). A política de alianças de D. Dinis. Retirado de https://ensina.rtp.pt/artigo/d-dinis-1261-1325/

Serrão, J. (Dir.). (1971). Dicionário de História de Portugal. (Vol. I, pp.815-816). Lisboa: Iniciativas Editoriais.

Trabalho produzido pela Professora Conceição Windle.


terça-feira, 14 de maio de 2024

«MOMENTOS DE LEITURA» 2024: QUE FINAL INESQUECÍVEL!

O pequeno auditório do TEMPO (Teatro Municipal de Portimão) encheu totalmente, no passado dia 11 de maio, para acolher a final da 12.ª edição do Concurso «Momentos de Leitura», uma iniciativa das bibliotecas escolares e públicas dos concelhos de Portimão e Monchique, que visa promover a leitura em voz alta e estimular o gosto pela poesia.

Dedicada à poesia de intervenção, no âmbito do cinquentenário da Revolução dos Cravos, a edição do corrente ano proporcionou momentos ímpares de cumplicidade entre leitores e assistência, que se sentiram tanto nos silêncios emotivos que acompanharam a leitura de cada poema, quanto nos aplausos efusivos que se seguiram às prestações dos jovens leitores. Afinal, estavam ali, reunidos, os melhores leitores de cada ciclo de todos os agrupamentos de escolas dos concelhos de Portimão e Monchique. E não houve nem boas nem más leituras. Houve, sim, e apenas, leituras extraordinárias!

As nossas finalistas, as nossas três meninas, representaram o Agrupamento de Escolas de Monchique de forma exemplar, oferecendo-nos três fantásticas leituras dos poemas «25 de Abril», de Luísa Ducla Soares, «As Mãos», de Manuel Alegre, e «Letra para um Hino», também de Manuel Alegre, e arrecadaram dois dos prémios a concurso: a Gabriela Susana Marques, do 4.º ano da Escola EB1 n.º 1, classificou-se em 1.º lugar na categoria do 1.º ciclo; a Anita Martins Pereira, do 6.º A, obteve o 2.º lugar na categoria do 2.º ciclo.

A nossa representante do 1.º ciclo
Gabriela Susana Marques, 4.º ano, Escola EB1 n.º 1
A nossa representante do 2.º ciclo
Anita Pereira, 6.º A, Escola Básica Manuel do Nascimento
A nossa representante do 3.º ciclo
Margarida Lima António, 7.º A, Escola Básica Manuel do Nascimento

A biblioteca escolar agradece às três meninas pelo entusiasmo, pela responsabilidade (enorme e notória responsabilidade) e pelo empenho que dedicaram a este desafio e por representarem tão bem o nosso agrupamento de escolas.

Parabéns, meninas!

E, claro, parabéns a todos os meninos e meninas que, não tendo chegado à final, tiveram a vontade e a coragem de participar neste concurso.

De Monchique vai também um agradecimento especial à equipa da Biblioteca Municipal de Portimão pela organização irrepreensível do evento.


GALERIA DE FOTOS:

Vista geral da assistência

Entrega de prémios

As finalistas com elementos da equipa da BE