quarta-feira, 3 de junho de 2020

TEXTOS EM DESTAQUE: «POSTAL DE UM OUTRO ALGARVE»

A Catarina Correia, da turma A do 8.º ano, foi uma das grandes vencedoras do concurso Uma Aventura Literária 2020, promovido pela Editorial Caminho, classificando-se em 2.º lugar na modalidade de «Texto Original».


É com um orgulho gigante que aqui deixamos os nossos PARABÉNS à Catarina e que partilhamos com os leitores deste blogue o texto que construiu, graças ao incentivo da professora Graça Peixoto.

Os nossos PARABÉNS vão ainda para o Afonso Pinto (7.º A), para a Leonor Valério (7.º A) e para a Inês Duarte Inácio (8.º A), que também participaram neste concurso com textos muito interessantes.

Postal de um outro Algarve

Olá, estou a escrever-vos do Algarve. Mas, não, não é desse Algarve onde existem praias com areal resplandecente e água do mar quentinha como normalmente é conhecido. Estou a escrever de um local que fica para lá da faixa costeira algarvia mundialmente conhecida pela sua beleza. Estou a escrever-vos de um outro Algarve puro e que convida a ser visitado. Querem?

No chamado interior do Algarve há serras que formam fronteira com o baixo Alentejo e dão um colorido diferente à paisagem, exemplo disto é a serra de Monchique onde se situa o miradouro de São Sebastião, de onde se avista uma paisagem deslumbrante.

A vila de Monchique, a minha terra, fica situada entre as duas serras mais altas do Algarve:  a da Foia e a da Picota. Aqui estamos rodeados de verdes paisagens, que convidam a caminhar por montes e vales e a observar de perto a fauna e a flora. É relaxante caminhar por estas terras observando não só o verde da natureza como também as cascatas, como é o caso da cascata do Barbelote, uma maravilhosa queda de água, e a do Penedo do Buraco.

É frequente encontrarmos por aqui muitos turistas caminhando pela serra.  Alguns são meros curiosos que ficam fascinados por toda a beleza que os circunda, outros são estudiosos da fauna e da flora, pois Monchique é um jardim com uma flora única no panorama algarvio de onde se destaca na paisagem os medronheiros, pinheiros, castanheiros e carvalhos. É também conhecida pelo saboroso mel e pelo medronho.

Poetas e outros artistas, que por aqui têm passado, inspiram-se tanto no verde da paisagem como no branco casario que se espalha pela encosta e que, ao longe, nos faz lembrar um anfiteatro. Querem cá vir visitar-nos? De certeza que encontrarão uma musa inspiradora. O interior do Algarve vale a pena ser visitado!

Espero ter-vos convencido a vir visitá-lo. Este outro Algarve é aquele onde vivo e sou feliz.

Cumprimentos do Algarve serrano,

Catarina Correia, 8.º A – Escola Básica Manuel do Nascimento, Monchique.

8 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns, Catarina!

Graça Jesus disse...

Muitos parabéns à Catarina pelo lindo texto que escreveu! Devo dizer que, no final, até senti um arrepiozinho por ver a nossa serra tão bem descrita. É sempre bom ver reconhecido e elogiado aquilo de que gostamos e que nos é tão querido!
Beijinho à Catarina e também à professora Graça Peixoto. E viva a nossa terra!

Andreia Matias disse...

Muitos Parabéns, Catarina! Que belo texto!
Continua a escrever sobre a nossa linda terra!

Carolina Morais disse...

Parabéns Catarina!! Escreves muito bem!
Continua a criar mais histórias encantadoras como essa!
Beijinhos da tua colega e amiga Carolina Morais <3

Carlos Humberto Almeida disse...

Que rico texto que acabei de ler. Muitos parabéns, Catarina Correia, desconhecia esta faceta de escritora. Se eu fosse jurado no concurso, sentir-me-ia convencido a visitar Monchique e as nossas paisagens.

Fico muito feliz por saber que há jovens a pensar desta forma. Monchique merece este reconhecimento e muito mais.

Catarina, nunca deixes de escrever. Felicidades!

Catarina Correia disse...

Obrigada a todos é sempre um prazer escrever de uma terra tão bonita como Monchique.

Unknown disse...

Parabéns, está muito bom.

Unknown disse...

Muitos parabéns Catarina. Fostes a nível nacional e internacional uma excelente divulgadora de tudo o que a vila de Monchique pode oferecer, tanto a nível da fauna como também da flora.
Continua assim que ainda te tornar numa excelente jornalista.


Beijinhos,
Afonso Pinto