quarta-feira, 1 de abril de 2020

PORDATA KIDS: PARA OCUPAR O TEMPO DA MELHOR FORMA

Nestes dias de isolamento em casa, a Pordata Kids pode ser um bom instrumento, simultaneamente pedagógico e lúdico, para pais e filhos organizarem, em conjunto, diferentes jogos e passatempos.

Para que os nossos leitores possam conhecer melhor esta ferramenta, aqui fica a carta endereçada pela Pordata, em parceria com a RBE, a professores, professores bibliotecários, encarregados de educação e famílias, seguida dos links para acesso a cada uma das áreas.

(Clique sobre o texto para ver melhor)

Para saber o que é a Pordata Kids, clique aqui.

Para aceder à área Pordata Escolas, clique aqui.

Para aceder à área de Jogos, clique aqui.



terça-feira, 24 de março de 2020

COMÍCIO ELEITORAL DE «MIÚDOS A VOTOS»

A campanha eleitoral de «Miúdos a votos: quais os livros mais fixes?» estava ao rubro. Tínhamos entrado na última semana e havia tantos livros em confronto. No auditório, repleto de alunos do 2.º ciclo, o comício teve início às 15h30 do dia 9 de março, conduzido por duas alunas do 8.º ano (a Matilde Duarte e a Inês Inácio). Na assistência, havia pais entusiasmados com o trabalho que os seus filhos foram desenvolvendo nos últimos dias e que se quiseram juntar à festa. Sim, à festa! Antes de mais, este comício foi uma festa em que se celebrou o livro e a leitura, sem esquecer os procedimentos de uma verdadeira campanha eleitoral. E houve cartazes (muitos), marcadores de livros, slogans, vídeos, pequenas representações teatrais e até dança. Houve também as ofertas habituais em tempos de campanha: lápis, canetas e muitos doces... tudo com o claro intuito de  persuadir a assistência a votar neste ou naquele livro.







Por razões que todos conhecemos, poucos dias depois, a campanha foi suspensa e as eleições adiadas, mas os livros continuam aí e leitura pode, talvez, trazer-nos alguma tranquilidade nos tempos difíceis que vivemos.

segunda-feira, 23 de março de 2020

«CONTOS COM REFLEXÃO» NA SEMANA DA LEITURA

A Semana da Leitura começou de forma tranquila no Agrupamento de Escolas de Monchique, sem imaginarmos que, muito em breve, todas as nossas rotinas se alterariam.
Como vem sendo hábito, o psicólogo Alfredo Leite dinamizou sessões com alunos de todos os anos de escolaridade e com as crianças da educação pré-escolar, levando-nos a refletir, de uma forma diferente, sobre obras trabalhadas na sala de aula, como, por exemplo, A Fada Oriana de Sophia de Mello Breyner Andresen (5.º ano), O Pássaro da Cabeça de Manuel António Pina (6.º ano), História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar de Luis Sepúlveda (7.º ano),  «Vicente» in Bichos de Miguel Torga (8.º ano) e Os Lusíadas de Luís de Camões (9.º ano).

A professora Filipa Batista, que leciona a disciplina de Português a todas as turmas do 2.º ciclo e que acompanhou as sessões dos 5.º e 6.º anos, deixou-nos o interessante testemunho que a seguir partilhamos.


Este ano letivo, a nossa escola contou, novamente, com a presença do Dr. Alfredo Leite, psicólogo, para levar os alunos a refletir sobre diversas temáticas pertinentes para a sua educação e civismo, usando as obras literárias que são lidas e trabalhadas em sala de aula.
Do primeiro ao terceiro ciclo, todos os alunos puderam experienciar uma abordagem às leituras obrigatórias diferente daquela que é trabalhada em aula.
O 2º ciclo, por exemplo, foi convidado a refletir um pouco sobre o futuro e hábitos de leitura, percebendo que estes passam, essencialmente, pelas práticas do presente e pela necessidade, importância e, até, urgência de se ter hábitos de leitura para poderem ser adultos que pensam e agem em conformidade com as suas escolhas. Estas devem ser feitas conscientemente, tendo em conta que o futuro e as profissões do futuro são uma incógnita.
Foi, também, tratada a relevância da criatividade como critério essencial na escolha de colaboradores nas profissões futuras, que ainda nem foram inventadas.
Os alunos participaram com entusiasmo, revelando criatividade e imaginação na qualidade e quantidade das respostas, bem como conhecimento da obra em questão.


sábado, 21 de março de 2020

DIA MUNDIAL DA POESIA


Neste Dia Mundial da Poesia, impedidos de realizar a nossa habitual atividade de oferta de poemas pela vila de Monchique, partilho com os leitores um belo poema, sugestão da nossa querida professora Manuela Ponte, que está agora na Ilha das Flores.

Há palavras que nos beijam

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.
Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto;
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.
De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor.
(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído
No papel abandonado)
Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neill, in 'No Reino da Dinamarca'

sexta-feira, 20 de março de 2020

«A MAIOR FLOR DO MUNDO» - JOSÉ SARAMAGO

Especialmente para os meninos do 4.º ano, que andaram a ler esta obra, mas também para todos nós, este conto de José Saramago, que dizia ter muita pena de não saber escrever histórias para crianças e que se interrogava: «Quem sabe se um dia virei a ler outra vez esta história escrita por ti que me lês, mas muito mais bonita».
Obrigando-nos a refletir, o nosso Prémio Nobel da Literatura deixa-nos duas questões:
E se as histórias para crianças passassem a ser de leitura obrigatória para os adultos? Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar?

Para ter acesso ao filme clique aqui.

PROVÉRBIOS EM IMAGENS 2

Foi com grande facilidade que alguns alunos descobriram os 19 primeiros «Provérbios em Imagens»
Aqui fica, então, mais um conjunto de 10 provérbios. Vamos, em conjunto, tentar descobrir todos?

quinta-feira, 19 de março de 2020

TODOS A LER: UM SILÊNCIO FEITO DE PALAVRAS E DE HISTÓRIAS

A campainha tocou precisamente às 10h00 do dia 11 de março. Era o sinal que todos esperávamos para abrir um livro e começar a ler durante dez minutos. E leu-se! Nas salas de aula, na biblioteca, no polivalente, na secretaria, na sala da direção, na sala de professores, no bar, nos cantinhos do recreio, nas escadarias... Leu-se, de forma autónoma e descontraída, e, durante dez minutos, a escola mergulhou num reconfortante silêncio feito de palavras e de histórias.




terça-feira, 17 de março de 2020

PROVÉRBIOS EM IMAGENS

Às vezes, no facebook, até descobrimos coisas interessantes. O exemplo que se segue é uma deles.
Serão os nossos leitores capazes de traduzir para palavras os provérbios que se seguem?
Temos de admitir que ainda nos falta descobrir alguns. No espaço comentários indicamos o 1.º. Se quiser, pode ajudar-nos a descobrir os outros.

ADIAMENTO DA FINAL DO CONCURSO «PARES DA LEITURA»

Por motivos que são, infelizmente, do conhecimento de todos nós, a final do Concurso «Pares da Leitura», agendada para o dia 27 de março, fica adiada, sem haver ainda uma nova data prevista.

segunda-feira, 16 de março de 2020

UM POEMA POR DIA?! QUE BEM QUE NOS FARIA!

Os professores de Português propuseram aos seus alunos, no âmbito da atividade «Um poema por dia?! Que bem que nos faria!», a leitura diária de um poema, ao longo do mês de março, e o registo do seu título e do seu autor numa ficha de trabalho produzida para o efeito.

Tentando facilitar esse trabalho, uma vez que muitos alunos estão agora impossibilitados de aceder facilmente a livros de poesia, deixamos aqui um link com sugestões de poemas apresentadas por alunos da Escola Básica Manuel do Nascimento, no ano letivo 2014/2015.
Para aceder aos poemas clique aqui.

segunda-feira, 9 de março de 2020

EM TEMPO DE CAMPANHA, «A MENINA DO MAR» VOLTOU À RÁDIO FOIA

A campanha eleitoral de «Miúdos a votos» tem revelado dinâmicas de trabalho muito interessantes, mobilizando grupos de alunos que, muitas vezes de forma autónoma, delineiam estratégias meticulosas e investem na produção de materiais surpreendentes.
Os partidários de  A Menina do Mar, de Sophia de Mello Breyner Andresen (um grupo de seis alunos do 6.º A) começaram a preparar a sua campanha logo no início de fevereiro. Nos tempos livres, reuniam-se na biblioteca escolar e, depois de decidirem o que iam fazer e como fazer, começaram a produzir os seus materiais: além de marcadores com a frase «A saudade é a tristeza que fica em nós quando as coisas de que gostamos se vão embora», construíram fantoches de papel com as principais personagens da história e prepararam uma pequena encenação.


No passado dia 5 de março, a sua ação de campanha chegou à Rádio Foia. Munidos dos seus materiais e com uma intervenção muito bem preparada, cinco elementos do grupo (o Francisco Casaca, a Ana Maria Sampaio, a Inês Duarte, a Maria Nunes e a Carolina Cruz) fizeram a apresentação da obra, leram alguns excertos, justificaram a sua preferência por este livro, referindo que é uma história que nos faz perceber que a amizade é possível entre seres de natureza diferente, e apelaram ao voto de alunos do país inteiro.




sexta-feira, 6 de março de 2020

«MIÚDOS A VOTOS AJUDA A FORMAR CRIANÇAS ALTRUÍSTAS E AMIGAS DO AMBIENTE

No dia três de fevereiro, a turma C2, do 2.º/3.º ano, da EB1 N.º 2 de Monchique iniciou a campanha “Miúdos a Votos” com uma exposição de trabalhos que remetem para os seus livros preferidos, à entrada da sala de aula. Este ano o lema é “Somos altruístas, amamos poesia e preservamos o ambiente”.

Os livros escolhidos repartem-se por três obras literárias O Elefante Cor-de-Rosa de Luísa Dacosta, Os Poemas da Mentira e da Verdade de Luísa Ducla Soares e Há Fogo na Floresta de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada.








Texto e fotografias: Prof. Anabela Cancela

quinta-feira, 5 de março de 2020

SEMANA DA LEITURA 2020


quarta-feira, 4 de março de 2020

«LER+ BD» COMEÇA A DAR FRUTOS

A atividade «Ler+ BD», que está a ser desenvolvida em parceria com a professora Fernanda Gomes e que já deu origem a um interessante conjunto de iniciativas (exposições, workshops e palestras), começa a movimentar alguns alunos que, de forma autónoma ou orientada, investem no seu trabalho de ilustração.
O Bruno Varela já tem uma interessante coleção de trabalhos e teve direito a uma pequena exposição na biblioteca escolar.

terça-feira, 3 de março de 2020

UMA VIAGEM A LISBOA PARA COMPREENDER MELHOR O «AUTO DA BARCA DO INFERNO»

Há já alguns anos que a Biblioteca Escolar e o Departamento de Línguas do Agrupamento de Escolas de Monchique planificam anualmente uma deslocação a Lisboa com os alunos do 9.º ano para assistência à representação teatral da peça Auto da Barca do Inferno pela Companhia de Teatro «O Sonho». Pretende-se, desta forma, aprofundar o conhecimento deste auto vicentino, propiciando o contacto real com o mundo do teatro.
Nos últimos anos, os Departamentos de Expressões e de Ciências Sociais e Humanas associaram-se à iniciativa e o programa passou a incluir uma visita guiada ao Museu Nacional da Arte Antiga para apreciação de quatro obras que complementam o estudo da obra de Gil Vicente: Custódia de Belém, Painéis de São Vicente, O Inferno e Tentações de Santo Antão.
No corrente ano letivo, esta deslocação a Lisboa teve lugar no dia 28 de fevereiro, envolveu 41 alunos do 9.º ano e quatro professores e o programa foi cumprido escrupulosamente, sendo de salientar a atitude irrepreensível dos alunos.
Também merece destaque o excecional trabalho da Companhia de Teatro «O Sonho», a atuar, agora, num novo espaço, e o profissionalismo das três guias do MNAA, que acompanharam os alunos numa visita guiada pelas quatro obras atrás referidas.


Clique sobre a imagem para ver melhor.



segunda-feira, 2 de março de 2020

4.º DESAFIO DE ESCRITA

Os desafios de escrita continuam a revelar talentos desconhecidos e capacidades surpreendentes.
Aqui fica, por isso, mais um desafio.

Completa a frase que se segue, usando, pelo menos:
     ➨ um pronome começado por n;
     ➨ um verbo começado por e;
     ➨ um adjetivo começado por d;
     ➨ um nome começado por s.

Lá fora, já se sentia o respirar da primavera. No entanto...

Publica o teu texto no espaço comentários. Não te esqueças de indicar o teu nome.

sábado, 29 de fevereiro de 2020

ALUNOS USAM TEMPO DE ANTENA NA RÁDIO FOIA PARA APELAR AO VOTO

A campanha eleitoral de «Miúdos a Votos» continua na Rádio Foia. 
Nas últimas três edições de «Um Livro por Semana», os alunos aproveitaram o seu tempo de antena para apresentar os seus livros preferidos e tentar convencer os colegas do país inteiro a votar no seu candidato.
No dia 13 de fevereiro, o Lucas Amaro, a Maria João Gonçalves e a Matilde Messia, do 3.º ano da Escola EB1 N.º 2, apelaram ao voto nos Poemas da Mentira e da Verdade e fundamentaram a sua preferência por esta obra de Luísa Ducla Soares com a leitura de um poema muito divertido.



Na semana seguinte, a Lara Jaime e a Carolina Guerreiro, da turma B do 6.º ano, defenderam, com convicção, o livro Ali Babá e os quarenta ladrões, apresentando-se em estúdio com um cartaz e uma numerosa coleção de marcadores com fitas de seda verde. Impossibilitados de ver estes materiais, os ouvintes foram presenteados com um pequeno resumo da obra e uma leitura partilhada de alguns excertos bem interessantes. No ar ficou o slogan da campanha das meninas: «Vota sem gastar tostões Ali Babá e os 40 ladrões!».


Na última sessão do mês, a Darlene Vicente e o João Águas, do 4.º ano da Escola EB1 N.º 1, iniciaram a sua intervenção com uma excelente leitura de dois bonitos poemas da obra Mistérios, de Matilde Rosa Araújo, mas a conversa rapidamente se desviou para a campanha de «Miúdos a votos» que estão a fazer na sua escola. 
Com alegria e grande espontaneidade, os meninos (mais a menina) explicaram que, na sua turma, a campanha está a ser muito concorrida, pois há partidários de três livros: A Maior Flor do Mundo, de José Saramago, O Tubarão na Banheira, de David Machado, e Diário de um Banana 1, de Jeff Kinney.


quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

CAMPANHA ELEITORAL FAZ-SE COM CARTAZES NA EB1 N.º 1

As eleições de «Miúdos a votos: quais os livros mais fixes?» vão ser muito disputadas na Escola EB1 N.º 1 de Monchique, a julgar pela diversidade de cartazes afixados na biblioteca escolar. O 1.º ano defende, em peso, Os Ovos Misteriosos, de Luísa Ducla Soares; o 2.º ano aposta na história A Girafa que Comia Estrelas, de José Eduardo Agualusa; a preferência da turma do 2.º e 3.º ano vai para O Elefante Cor-de-Rosa, de Luísa Dacosta; o 4.º ano está dividido entre A Maior Flor do Mundo, de José Saramago, O Tubarão na Banheira, de David Machado, e O Diário de um Banana 1, de Jeff Kinney.
Nesta altura da campanha, ainda não é possível fazer previsões, mas adivinha-se uma votação muito repartida.





segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

VISÃO JÚNIOR DIVULGA AÇÃO DE CAMPANHA EM MONCHIQUE



Para ver o artigo completo, clique aqui

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

CARLOS J. CAMPOS FALA DE ILUSTRAÇÃO EM MONCHIQUE

O ilustrador Carlos J. Campos, conhecido dos nossos alunos por ser o autor da coleção «Draguim» e  o ilustrador das coleções «Crónicas do Vampiro Valentim» e «O Estranhão», de Álvaro Magalhães, esteve no Agrupamento de Escolas de Monchique, nos dias 13 e 14 de fevereiro, para um conjunto de palestras dirigidas a todas as turmas do 2.º ciclo.
De uma forma entusiasta e cativante, o ilustrador referiu-se ao seu percurso e experiência profissionais; falou das técnicas tradicionais de ilustração, de fotografia e de composição gráfica; abordou as vantagens e inconvenientes da ilustração na era digital; deu a conhecer recursos do Photoshop e exemplificou técnicas de manipulação de imagem, surpreendendo e divertindo os alunos com a transformação de uma fotografia sua. 
Acima de tudo, o ilustrador fez questão de alertar os alunos para os «fakes», demonstrando que não podemos confiar nas imagens que vemos, pois nem sempre correspondem à realidade.





O interesse dos alunos foi uma constante em todas as sessões, incluindo a palestra de quinta-feira à tarde, aberta à comunidade, que contou com um significativo número de alunos do 3.º ciclo, que ficaram suspensos nas palavras, nos desenhos e nas demonstrações do ilustrador.
No final de cada sessão, os alunos (e professoras) quiseram uma recordação da passagem de Carlos J. Campos por Monchique e o ilustrador acedeu a todas as solicitações com enorme simpatia.