sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

10.º DESAFIO DE ESCRITA

O primeiro desafio de escrita de 2021 é particularmente interessante (e desafiante).

Convidamos os nossos leitores (alunos, professores, encarregados de educação, famílias, amigos…) a desafiarem a sua capacidade poética.

O que se propõe é a construção de uma quadra (de preferência com sete sílabas métricas e rima cruzada), usando, obrigatoriamente, um dos versos (qualquer um deles) de uma das quadras de António Aleixo que se seguem. O verso escolhido pode ser usado no início, no meio ou no final da quadra.


Clica sobre a imagem para a veres melhor.

Vamos a isso?

Desta vez, haverá prémios (Kits de leitura / escrita) para as cinco melhores quadras. 

12 comentários:

Eduardo Duarte disse...

Passa o tempo em fugida
É eterno um segundo.
São anos de amor na vida
Os mais pequenos do mundo.

Anónimo disse...

O que os homens são no fundo
Todos deviam saber.
Seria melhor o mundo,
Bastava, apenas, querer.

Anónimo disse...

Ninguém crê no que ele diz
Embora diga a verdade,
Mas mesmo assim é feliz,
Pois desconhece a maldade.

Anónimo disse...

Lições de filosofia
Não as darei a ninguém
Que saiba ver empatia
P'ra lá das vistas que tem.

Beatriz Andrez disse...

Ninguém crê no que ele diz ,
Pois falava mentira,
Assim era feliz,
Deixando a sabedoria.

Unknown disse...

quando o poema se enfeita
dessa loucura sublime
de qualquer verso que rime
com a emoçao mais perfeita

Unknown disse...

quando o poema se enfeita
dessa loucura sublime
de qualquer verso que rime
com a emoçao mais perfeita

Isaac Vasques disse...

O que os homens são no fundo,
Mentir e bisbilhotar,
Começa a sentir um sono profundo,
Vê o sol e só pensa em aproveitar.

Unknown disse...

Mentiu com habilidade,
O que é de estranhar,
Esquecendo-se que a honestidade,
Acaba sempre por ganhar.


Dinis Páscoa Nº 5 - 7º B

Rodrigo Simões 7ºB disse...

Os mais pequenos do mundo
São mais sábios que os demais
Sabem que o mais importante, no fundo
São os afetos dos seus pais.

Unknown disse...

Sempre teve a habilidade
De mentir sem escapar a verdade
Agora tudo quer contar
Mas ninguém consegue acreditar

Marília disse...

Passo o tempo confinado
Em tempos de pandemia
Fico em casa com cuidado
Lições de filosofia
de Miguel Loureiro, 7.º B